IMM-Ana Filipa

Hardware
O hardware, circuitaria, material ou ferramental. É a parte física do computador, ou seja, é o conjunto de componentes eletrônicos, circuitos integrados e placas, que se comunicam através de barramentos.

Software
O Software é uma aplicação, um programa do computador, que permite executar uma determinada tarefa.

Software Livre
Software livre, segundo a definição criada pela Free Software Foundation é qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído sem restrições.

Modelo de von Neumann
É o modelo de design da maioria dos computadores actuais.
Consiste num CPU, memória e periféricos de I/O. sendo que a memória contem programas (instruções) assim como dados. Ambos são representados como valores numéricos (bits). Cada instrução tem o respectivo ocorre em binário.
O modelo de von Neumann é composto basicamente por processador, memória e dispositivos de E/S. O processador executa instruções sequencialmente, de acordo com a ordem ditada por uma unidade de controlo.
Motherboard
Motherboard (placa mãe) - Placa principal de circuitos do computador, onde ficam os componentes essenciais. A placa - mãe contém o processador, a memória principal, os circuitos de apoio, a controladora e os conectores do barramento. As placas de expansão de memória e as placas de I/O, podem ser instaladas na placa - mãe através dos conectores do barramento.

Modelos da motherboard:

-Tx
txpro-mmx-color.jpg

-Vx

-Fx
13-136-152-02.JPG

-At
At é a sigla de (Advanced Technology). Trata-se de um tipo de placa-mãe já antiga. Seu uso foi constante de 1983 até 1996. Um dos factores que contribuíram para que o padrão AT deixasse de ser usado (e o ATX fosse criado), é os espaços interno reduzido, que com a instalação dos vários cabos do computador (flat cable, alimentação), dificultavam a circulação de ar, acarretando, em alguns casos danos permanentes à máquina devido ao super aquecimento. Isso exigia grande habilidade do técnico montador para aproveitar o espaço disponível da melhor maneira. Além disso, o conector de alimentação da fonte AT, que é ligado à placa-mãe, é composto por dois plugs semelhantes (cada um com seis pinos), que devem ser encaixados lado a lado, sendo que os fios de cor pretos de cada um devem ficar localizados no meio.
y1pciPEoIlqBsPbpNTbjfJ12VV6YEYKMhoFI_PqAS0jy2Xe4FG0OYyalIgP7GYYwKz_hIxGVNX0mutYPZgwH1w4TW1_60MAMzKV

-ATX
ATX é a sigla de (Advanced Technology Extended). Pelo nome, é possível notar que trata-se do padrão AT aperfeiçoado. Um dos principais desenvolvedores do ATX foi a Intel. O objectivo do ATX foi de solucionar os problemas do padrão AT (citados anteriormente), o padrão apresenta uma série de melhorias em relação ao anterior. Actualmente a maioria dos computadores novos vêm baseados neste padrão. Entre as principais características do ATX, estão:
• O maior espaço interno, proporcionando uma ventilação adequada,
• Conectores de teclado e rato no formato mini-DIN PS/2 (conectores menores)
• Conectores serial e paralelo ligados directamente na placa-mãe, sem a necessidade de cabos,
• Melhor posicionamento do processador, evitando que o mesmo impeça a instalação de placas de expansão por falta de espaço.

atx-intel-motherboard.jpg

-BTX
BTX é um formato de placa-mãe criado pela Intel e lançado em 2003 para substituir o formato ATX. O objectivo do BTX foi optimizar o desempenho do sistema e melhorar a ventilação interna. Actualmente, o desenvolvimento desse padrão está parado.
800px-BTX-Gehaeuse_IMGP1405.jpg

-LPX
Formato de placa-mãe usado por alguns PCs "de marca" como por exemplo Compaq. Seu principal diferencial é não ter ranhuras. As ranhuras estão localizadas em uma placa a parte, também chamada "backplane", que é encaixada à placa-mãe através de um conector especial. Seu tamanho padrão é de 22 cm x 33 cm. Existe ainda um padrão menor, chamado Mini LPX, que mede 25,4 cm x 21,8 cm.
Esse padrão foi criado para permitir PCs mais "finos", já que as placas de expansão em vez de ficarem perpendiculares à placa-mãe, como é o normal, ficam paralelas.
Após o padrão de placas-mãe ATX ter sido lançado, uma versão do LPX baseada no ATX foi lançada, chamada NLX.
Visualmente falando é fácil diferenciar uma placa-mãe LPX de uma NLX. No padrão LPX o conector para a placa de expansão (backplane) está localizado no centro da placa-mãe e este é um conector parecido com uma ranhura (conector "fêmea"). Já no padrão NLX o conector para a placa de expansão está localizado em uma das laterais da placa, e é um contacto de borda contendo 340 pinos, similar ao usado por placas de expansão (ou seja, é um conector "macho").

LPX-Header-Image(8gldi3).jpg

-ITX
É um padrão de placa-mãe criado em 2001 pela VIA Technologies.
Destinada a computadores altamente integrados e compactados, com a filosofia de oferecer não o computador mais rápido do mercado, mas sim o mais barato, já que na maioria das vezes as pessoas usam um computador para poder navegar na Internet e editar textos.
A intenção da placa-mãe ITX é ter tudo on-board, ou seja, vídeo, áudio, modem e rede integrados na placa-mãe.
Outra diferença dessa placa-mãe está em sua fonte de alimentação. Como possui menos periféricos, reduzindo assim o consumo de energia, sua fonte de alimentação pode ser fisicamente menor, possibilitando montar um computador mais compacto.
pico-itx-0025m.jpg

Processador
O processador é um circuito integrado controle das funções de cálculos e tomadas de decisões de um computador, por isso é considerado o cérebro do mesmo. Ele faz parte de um importante elemento do computador, a Unidade Central de Processamento (em inglês CPU: Central Processing Unit). Hoje todos os circuitos e chips dispostos em diversas placas que compunham a Unidade Central de Processamento estão integrados no microprocessador.
Os processadores trabalham apenas com linguagem de máquina (lógica booleana). E realizam as seguintes tarefas: – Busca e execução de instruções existentes na memória. Os programas e os dados que ficam gravados no disco (disco rígido ou disquetes), são transferidos para a memória. Uma vez estando na memória, o processador pode executar os programas e processar os dados; – Controle de todos os chips do computador.

Para que serve um processador?
Para executar todas as instruções existentes. Quanto mais rápido for o processador, mais rápidas as instruções serão executadas. Todo processador deve ter um cooler (ou algum outro sistema de controle de temperatura). Essa peça (que lembra um ventilador) é a responsável por manter a temperatura do processador em níveis aceitáveis.

Cooler
Dissipador de calor é o nome dado a um objecto de metal sendo geralmente feito de cobre ou alumínio, que pelo fenómeno da condução térmica e uma maior área por onde um fluxo térmico pode se difundir, maximiza o nível de dissipação térmica de qualquer superfície que gere calor. Sendo assim, dissipadores de calor têm o objectivo de garantir a integridade de equipamentos que podem se danificar com o calor gerado por seu funcionamento.

Para que serve o cooler?
Serve para pegar o ar e joga-lo em cima do dissipador, que por sua vez resfria o ar e por fim, o processador. Uma parte importante desse conjunto é a pasta térmica que tem a função de manter a temperatura do processador estabilizada. No final de contas, é ela quem é a resfriada.

Que tipos de cooler há?
Assim como os componentes dos computadores evoluem, a evolução dos coolers é necessária para acompanhar o aumento da temperatura interna das máquinas. Há basicamente três tipos de coolers, um para cada necessidade.
-Water Cooler
-Air Cooler
-Cooler Heatpipe

O que é um chipset?
Um Chipset é o nome dado ao conjunto de chips (ou circuitos integrados) utilizado na placa-mãe e cuja função é realizar diversas funções de hardware, como controle dos barramentos (PCI, AGP e o antigo ISA), controle e acesso à memória, controle da interface IDE e USB, Timer, controle dos sinais de interrupção IRQ e DMA, entre outras.
p45_express_chipset.jpg
O que é que a northbridge?
O northbridge (em em português: ponte norte), também conhecido como memory controller hub (MCH) em sistemas Intel (AMD, VIA, SiS e outros geralmente usam northbridge), é tradicionalmente um dos dois chips que constituem o chipset numa placa-mãe de PC, sendo o outro o southbridge. Separar o chipset em northbridge e southbridge é comum, embora existam instâncias raras em que ambos são combinados num único die quando a complexidade do design e os processos de fabricação o permitem.
amd_780g___690g_northbridge.jpg
O que é que a northbridge controla?
O northbridge geralmente lida com a comunicação entre a UCP, memória RAM, AGP ou PCI Express e o southbridge. Algum northbridges também contém controladores de vídeo integrados, os quais também são conhecidos como Graphics and Memory Controller Hub (GMCH) em sistemas Intel.
O chipset Intel i875 chipset somente funcionará com sistemas que usem processadores Pentium 4 ou Celeron que tenham uma taxa de clock maior que 1,3 GHz e que utilizem DDR SDRAM, e o chipset Intel i915g somente irá operar com o Intel Pentium 4 e Celeron, mas que usem memória DDR ou DDR2.

O que é que a southbridge?
O southbridge (em português: ponte sul), também conhecido como I/O Controller Hub em sistemas Intel (AMD, VIA, SiS e outros geralmente usam southbridge), é um chip que implementa as capacidades mais "lentas" da placa-mãe numa arquitectura de chipset northbridge/southbridge. O southbridge pode ser geralmente diferenciado do northbridge por não estar directamente conectado à UCP. Em vez disso, o northbridge liga o southbridge à UCP.
southbridge-nForce-680i-LT-SLI.jpg

O que é que a southbridge controla?
Visto que o southbridge não está directamente conectado à UCP, a ele é dada a responsabilidade pelos dispositivos mais lentos num PC típico. Um southbridge em particular geralmente irá funcionar com vários northbridges diferentes, mas estes dois chips devem ser projectados para trabalhar em conjunto; não há um padrão amplo para interoperabilidade entre projectos de chipsets de lógicas diferentes.
chip02.jpg

Memórias

RAM
As memórias RAM (Random-Access Memory - Memória de Acesso Aleatório) constituem uma das partes mais importantes dos computadores, pois são nelas que o processador armazena os dados com os quais está lidando. Esse tipo de memória tem um processo de gravação de dados extremamente rápido, se comparado aos vários tipos de memória ROM. No entanto, as informações gravadas se perdem quando não há mais energia eléctrica, isto é, quando o computador é desligado, sendo, portanto, um tipo de memória volátil.

Há dois tipos de tecnologia de memória RAM que são muitos utilizados: estático e dinâmico, isto é, SRAM e DRAM, respectivamente. Há também um tipo mais recente chamado de MRAM. Eis uma breve explicação de cada tipo:
- SRAM (Static Random-Access Memory - RAM Estática): esse tipo é muito mais rápido que as memórias DRAM, porém armazena menos dados e possui preço elevado se considerarmos o custo por megabyte. Memórias SRAM costumam ser utilizadas como cache (saiba mais sobre cache neste artigo sobre processadores);
- DRAM (Dynamic Random-Access Memory - RAM Dinâmica): memórias desse tipo possuem capacidade alta, isto é, podem comportar grandes quantidades de dados. No entanto, o acesso a essas informações costuma ser mais lento que o acesso às memórias estáticas. Esse tipo também costuma ter preço bem menor quando comparado ao tipo estático;
- MRAM (Magnetoresistive Random-Access Memory - RAM Magneto-resistiva): a memória MRAM vem sendo estudada há tempos, mas somente nos últimos anos é que as primeiras unidades surgiram. Trata-se de um tipo de memória até certo ponto semelhante à DRAM, mas que utiliza células magnéticas. Graças a isso, essas memórias consomem menor quantidade de energia, são mais rápidas e armazenam dados por um longo tempo, mesmo na ausência de energia eléctrica. O problema das memórias MRAM é que elas armazenam pouca quantidade de dados e são muito caras, portanto, pouco provavelmente serão adoptadas em larga escala.

ROM
As memórias ROM (Read-Only Memory - Memória Somente de Leitura) recebem esse nome porque os dados são gravados nelas apenas uma vez. Depois disso, essas informações não podem ser apagadas ou alteradas, apenas lidas pelo computador, excepto por meio de procedimentos especiais. Outra característica das memórias ROM é que elas são do tipo não voláteis, isto é, os dados gravados não são perdidos na ausência de energia eléctrica ao dispositivo.

Os principais tipos de memória ROM:
- PROM (Programmable Read-Only Memory): esse é um dos primeiros tipos de memória ROM. A gravação de dados neste tipo é realizada por meio de aparelhos que trabalham através de uma reacção física com elementos eléctricos. Uma vez que isso ocorre, os dados gravados na memória PROM não podem ser apagados ou alterados;
- EPROM (Erasable Programmable Read-Only Memory): as memórias EPROM têm como principal característica a capacidade de permitir que dados sejam regravados no dispositivo. Isso é feito com o auxílio de um componente que emite luz ultravioleta. Nesse processo, os dados gravados precisam ser apagados por completo. Somente depois disso é que uma nova gravação pode ser feita;
- EEPROM (Electrically-Erasable Programmable Read-Only Memory): este tipo de memória ROM também permite a regravação de dados, no entanto, ao contrário do que acontece com as memórias EPROM, os processos para apagar e gravar dados são feitos electricamente, fazendo com que não seja necessário mover o dispositivo de seu lugar para um aparelho especial para que a regravação ocorra;
- EAROM (Electrically-Alterable Programmable Read-Only Memory): as memórias EAROM podem ser vistas como um tipo de EEPROM. Sua principal característica é o fato de que os dados gravados podem ser alterados aos poucos, razão pela qual esse tipo é geralmente utilizado em aplicações que exigem apenas reescrita parcial de informações;
- Flash: as memórias Flash também podem ser vistas como um tipo de EEPROM, no entanto, o processo de gravação (e regravação) é muito mais rápido. Além disso, memórias Flash são mais duráveis e podem guardar um volume elevado de dados. É possível saber mais sobre esse tipo de memória no artigo Cartões de memória Flash, publicado aqui no InfoWester;
- CD-ROM, DVD-ROM e afins: essa é uma categoria de discos ópticos onde os dados são gravados apenas uma vez, seja de fábrica, como os CDs de músicas, ou com dados próprios do usuário, quando o próprio efectua a gravação. Há também uma categoria que pode ser comparada ao tipo EEPROM, pois permite a regravação de dados: CD-RW e DVD-RW e afins.

Memórias secundárias

Disco rígido
O disco rígido é o órgão que serve para conservar os dados de maneira permanente, contrariamente à memória viva, que se apaga a cada reinício do computador, é a razão pela qual se fala, às vezes, de memória de massa para designar os discos duros.
O disco rígido liga-se à placa-mãe através de um controlador de disco duro que faz a conversão entre o processador e o disco duro. O controlador de disco rígido gere os discos que a ele estão ligados, interpreta os comandos enviados pelo processador e encaminha-os para o disco interessado. Distinguem-se geralmente os seguintes interfaces:
-IDE
-SCSI
-Serial ATA

-IDE/ATA
80GB_IDE_ATA_PATA_2_5_Laptop_Notebook_Hard_Disk_Drive_HD.jpg

-SATA
hdd_sata_connected.jpg

-SSD
sandisk-2_5ssd.JPG

O que é Barramento?

Em ciência da computação barramento é um conjunto de linhas de comunicação que permitem a interligação entre dispositivos, como a CPU, a memória e outros periféricos.

Esses fios estão divididos em três conjuntos:
via de dados: onde trafegam os dados;
via de endereços: onde trafegam os endereços;
via de controle: sinais de controle que sincronizam as duas anteriores.

Barramento de dados - São os condutores por onde circulam os dados que o processador vai buscar à memória RAM ou aos dispositivos de I/O.

Barramento de endereços - O acesso aos dados que a CPU necessita é feito pelo envio dos endereços das posições de memória ou de dispositivos de I/O onde eles se encontram. Esses endereços circulam neste barramento.

Barramento de controlo - Existem sinais eléctricos que controlam os dispositivos electrónicos para que o sistema possa ler/escrever os dados. Esses sinais viajam neste barramento.

Drives
Memória USB Flash Drive (comumente conhecido como pen drive, pen, disco removível ou chaveiro de memória) é um dispositivo de armazenamento constituído por uma memória flash tendo aparência semelhante à de um isqueiro ou chaveiro e uma ligação USB tipo A permitindo a sua conexão a uma porta USB de um computador. As capacidades atuais de armazenamento são 64 MB a 256 GB. A velocidade de transferência de dados pode variar dependendo do tipo de entrada.

Avarias nos PC's e bips

- Erros BIOS AMI
1 Bip Curto:
Post Executado com sucesso: Este é um Bip feliz emitido pelo BIOS quando o POST é executado com sucesso. Caso o seu sistema esteja inicializando normalmente e você não esteja ouvindo este Bip , verifique se o speaker está ligado à placa mãe corretamente.

1 Bip longo:
Falha no Refresh (refresh Failure) : O circuito de refresh da placa mãe está com problemas, isto pode ser causado por danos na placa mãe ou falhas nos módulos de memória RAM

1 Bip longo e 2 bips curtos:
1 Bip longo e 3 bips curtos:
Falha no Vídeo: Problemas com o BIOS da placa de vídeo. Tente retirar a placa, passar borracha de vinil em seus contatos e recolocá-la, talvez em outro slot. Na maioria das vezes este problema é causado por mau contato.

2 bips curtos:
Falha Geral: Não foi possível iniciar o computador. Este problema é causado por uma falha grave em algum componente, que o BIOS não foi capaz de identificar. Em geral o problema é na placa mãe ou nos módulos de memória

2 Bips longos:
Erro de paridade: Durante o POST, foi detectado um erro de paridade na memória RAM. Este problema pode ser tanto nos módulos de memória quanto nos próprios circuitos de paridade. Para determinar a causa do problema, basta fazer um teste com outros pentes de memória. Caso esteja utilizando pentes de memória sem o Bit de paridade você deve desativar a opção "Parity Check" encontrada no Setup.

3 Bips longos:
Falha nos primeiros 64 KB da memória RAM (Base 64k memory failure) > Foi detectado um problema grave nos primeiros 64 KB da memória RAM. Isto pode ser causado por um defeito nas memórias ou na própria placa mãe. Outra possibilidade é o problema estar sendo causado por um simples mal contato. Experimente antes de mais nada retirar os pentes de memória, limpar seus contatos usando uma borracha de vinil (aquelas borrachas plásticas de escola) e recoloca-los com cuidado.

4 Bips Longos:
Timer não operacional: O Timer 1 não está operacional ou não está conseguindo encontrar a memória RAM. O problema pode estar na placa mãe (mais provável) ou nos módulos de memória.

5 Bips:
Erro no processador: O processador está danificado, ou mal encaixado. Verifique se o processador está bem encaixado, e se por descuido você não esqueceu de baixar a alavanca do soquete Zif (acontece nas melhores famílias :-)

6 Bips:
Falha no Gate 20 (8042 - Gate A20 failure): O gate 20 é um sinal gerado pelo chip 8042, responsável por colocar o processador em modo protegido. Neste caso, o problema poderia ser algum dano no processador ou mesmo problemas relacionados com o chip 8042 localizado na placa mãe

7 Bips:
Processor exception (interrupt error): O processador gerou uma interrupção de exceção. Significa que o processador está apresentando um comportamento errático. Isso acontece às vezes no caso de um overclock mal sucedido. Se o problema for persistente, experimente baixar a freqüência de operação do processador. Caso não dê certo, considere uma troca.

8 Bips:
Erro na memória da placa de vídeo (display memory error) : Problemas com a placa de vídeo, que podem estar sendo causados também por mal contato. Experimente, como no caso das memórias, retirar a placa de vídeo, passar borracha em seus contatos e recolocar cuidadosamente no slot. Caso não resolva, provavelmente a placa de vídeo está danificada.

9 Bips:
Erro na memória ROM (rom checksum error): Problemas com a memória Flash, onde está gravado o BIOS. Isto pode ser causado por um dano físico no chip do BIOS, por um upgrade de BIOS mal sucedido ou mesmo pela ação de um vírus da linhagem do Chernobil.

10 Bips:
Falha no CMOS shutdown register (CMOS shutdown register error): O chamado de shutdown register enviado pelo CMOS apresentou erro. Este problema é causado por algum defeito no CMOS. Nesse caso será um problema físico do chip, não restando outra opção senão trocar a placa mãe.

11 Bips:
Problemas com a memória cache (cache memory bad): Foi detectado um erro na memória cache. Geralmente quando isso acontece, o BIOS consegue inicializar o sistema normalmente, desabilitando a memória cache. Mas, claro, isso não é desejável, pois deteriora muito o desempenho do sistema. Uma coisa a ser tentada é entrar no Setup e aumentar os tempos de espera da memória cache. Muitas vezes com esse "refresco" conseguimos que ela volte a funcionar normalmente.

Erros BIOS PHOENIX
Apito _Condição

Nenhum
teste de registro de CPU
teste dos 64K RAM iniciais
Carregamento do vetor de interrupção
falha de força CMOS/cálculo do checksum
Validação de configuração de vídeo
vídeo funcionando com vídeo ROM
vídeo funcional
vídeo Monocromático funcional
vídeo CGA funcional

1-1-3
CMOS write/read
1-1-4
ROM BIOS checksum
1-2-1
Timer do Sistema
1-2-2
inicialização do DMA
1-2-3
registro da página de DMA (write/read)
1-3-1
verificação da atualização da memória RAM
1-3-3
chip dos 64K RAM iniciais ou linha de dados
1-3-4
lógica odd/even dos 64K RAM iniciais
1-4-1
endereço de linha dos 64K RAM iniciais
1-4-2
falha de paridade nos 64K RAM iniciais
2-1-1
Bit 0, 64K RAM iniciais
2-1-2
Bit 1, 64K RAM iniciais
2-1-3
Bit 2, 64K RAM iniciais
2-1-4
Bit 3, 64K RAM iniciais
2-2-1
Bit 4, 64K RAM iniciais
2-2-2
Bit 5, 64K RAM iniciais
2-2-3
Bit 6, 64K RAM iniciais
2-2-4
Bit 7, 64K RAM iniciais
2-3-1
Bit 8, 64K RAM iniciais
2-3-2
Bit 9, 64K RAM iniciais
2-3-3
Bit 10, 64K RAM iniciais
2-3-4
Bit 11, 64K RAM iniciais
2-4-1
Bit 12, 64K RAM iniciais
2-4-2
Bit 13, 64K RAM iniciais
2-4-3
Bit 14, 64K RAM iniciais
2-4-4
Bit 15, 64K RAM iniciais
3-1-1
registro de DMA Slave
3-1-2
registro de DMA Master
3-1-3
Registrador da interrupção Master
3-1-4
Registrador da interrupção Slave
3-2-4
controlador de teclado
3-3-4
inicialização do vídeo
3-4-1
retrace do vídeo
3-4-2
procura por ROM de vídeo em processamento
4-2-1
teste da interrupção do Timer
4-2-2
teste de Shutdown
4-2-3
falha na porta A20
4-2-4
interrupção inesperada em modo protegido
4-3-1
teste de RAM (endereço da falha >FFFFh)
4-3-3
Intervalo do timer canal 2
4-3-4
relógio do sistema
4-4-1
porta Serial
4-4-2
porta Paralela
4-4-3
teste do co-processador matemático
1-1-2

  • seleção da placa de sistema

1-1-3

  • Extender CMOS RAM

Erros BIOS AWARD
Apito __Condição de Erro
1 longo, 2 curtos
Erro de Display - não é possível mostrar outras informações

Qualquer outro………… (Erro de memória RAM)

Erros BIOS INTEL

O Que São Dados?
Dados são observações documentadas ou resultados da medição. A disponibilidade
dos dados oferece oportunidades para a obtenção de informações.
Os dados podem ser obtidos pela percepção através dos sentidos (por exemplo
observação) ou pela execução de um processo de medição. A Figura abaixo ilustra as fontes dos dados.

Exemplos de Tipos de Dados dos Processos de Medição

Dados Contínuos: Dimensão de uma peça mecanizada
Viscosidade de um líquido
Peso de uma pessoa
Tempo para completar uma tarefa
Custos de produção
Dados de Contagem: Número de partículas pretas numa amostra
Número de erros numa página
Número de acidentes num mês
Número de vezes que uma tarefa foi concluída
Contagem do estoque
Dados de Classificação: Página com erro ou sem erro
Classificação de um produto (Tipo A ou Tipo B)

O que é Informação?
Informação é o resultado do processamento, manipulação e organização de dados, de tal forma que represente uma modificação (quantitativa ou qualitativa) no conhecimento do sistema (pessoa, animal ou máquina) que a recebe.

Exemplo:
Luanda acolhe fórum internacional sobre tecnologia de informação

Luanda – Um fórum internacional Angola/Brasil sobre Tecnologia de Informação (Anbrati) vai ser realizado nos dias 22 e 23 deste mês, em Luanda, numa iniciativa da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex).

O Anbrati servirá para apresentação de soluções de Tecnologias de Informação desenvolvidas no Brasil, que podem contribuir para o crescimento macroeconómico de Angola, soube hoje a Angop da assessoria de imprensa do evento a “Tudo em Pauta Comunicação Integrada”.

Segundo a fonte, os temas agendados para o fórum em áreas como petróleos, agro-negócios, finanças e saúde serão dissertados por empresários e especialistas brasileiros, com o intuito de apresentarem as novas oportunidades e tendências em Tecnologia da Informação.

O Anbrati será realizado com o apoio do consórcio angolano brasileiro de Empresas de Tecnologia da Informação (BOC), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Financiadora de Estudos e Projectos (Finep) e do Ministério da Ciência e da Tecnologia (MCT).

A Softex reúne mais de mil e 300 empresas associadas, através dos seus 22 agentes distribuídos por 13 Estados, além de uma grande rede de consultores.

Características da Informação

Quando uma informação não é suficientemente precisa ou completa, um profissional pode tomar decisões erradas, podendo gerar grandes prejuízos sociais e/ou econômicos. Por esse motivo, a importância da informação pode apresentar diferenças dependendo do valor que é atribuído para cada uma das suas características. Entre as características de valor que podemos atribuir a informação podemos destacar:

Precisão: A informação não contém erros. Uma informação imprecisa normalmente é originada por dados imprecisos que alimentam o processo;
Completa: A informação contém todos os fatos importantes;
Confiável: A confiabilidade da informação depende do método de recolha dos dados (fonte dos dados). Quanto mais precisa essa fonte, mais confiável é a informação;
Relevante: Uma informação relevante é essencial na tomada de decisões;
Verificável: A informação pode ser conferida para assegurar que está correta;
Acessível: A informação deve ser facilmente acessível aos utilizadores autorizados, que podem obtê-la na forma correta e no tempo certo;
Segura: A informação deve ser segura para possibilitar o seu acesso apenas pelos utilizadores autorizados.

Software
O Software é uma aplicação, um programa do computador, que permite executar uma determinada tarefa.

Software de aplicação
São todos os programas de computador que possibilitam a realização de variadas tarefas (em relação a diversa áreas) por parte do utilizador.

Exemplos de Software de Aplicação:
-Microsoft Word (processamento de texto);
-PaintShop Pro (tratamento de imagem);
-Tomb Raider, Tetris, etc (jogos);
-Etc.

Software de sistema
Software de sistema é um termo genérico referente aos programas de computador usados para iniciar e executar redes e sistemas de computador.

Exemplos:
Softwares de Sistema são, por exemplo, o BIOS (programa que detecta e apresenta para os softwares os hardwares que o computador possui) os drivers de dispositivos, o sistema operacional e a interface gráfica.